quarta-feira, 3 de julho de 2013

Ferrou ou ainda é tempo



Não adianta. Nunca serei eternamente boa magra se voltar com os hábitos antigos. O fato é que depois de atingir lindos 66 kilos e vestir 40, desde janeiro a louca aqui voltou com alguns maus  hábitos. Voltei a repetir comida, à permitir-me comidas nada saudáveis como Mc Donalds e pizzas e por ter deixado de beber álcool meu paladar ficou limpinho e assim eu descobri as delícias do doce.

Nunca fui de açúcar. Estranhamente me peguei em frente a TV comendo bombons, balas, copos de refrigerante, biscoitos e pasmem sorvete. Nada em quantidades exageradas, mas para quem odiava doces, isto era bem esquisito.

Fiquei firme e forte sem álcool de outubro do ano passado até fevereiro desse ano. No carnaval permiti-me algumas doses de wiski e fui bem feliz. Depois de maio abri outras exceções (SEIS vezes) e bebi n copos da minha amada cerveja.

Estou matriculada na academia desde março e fui apenas doze vezes (sim o meu dinheiro aprece capim).

Enfim, fui permitindo-me algumas extravagâncias, algumas exceções, afastei-me do blog, sofri uma crise fudida de ansiedade e o resultado disso são 7 kilos a mais na balança. Como esse ganho de peso refletiu em mim? A auto-estima periga a voltar para o chão, meu rosto está mais redondo, os braços mais roliços, a barriga não está retinha e a celulite piorou. A calça 40 ainda entra, mas já não está mais confortável. O condicionamento físico está uma tragédia, a preguiça me domina e o desânimo de recomeçar.  O fato de ter engordado refletiu até na minha responsabilidade com a minha casa. Ando deixando a sujeira acumular, adiando a faxina e confesso que passo minhas tardes dormindo (só trabalho de tarde, três vezes por semana).

A ficha caiu quando a balança registrou 73 kilos. Tento fazer um exercício de consciência: acordar e perceber que se quero ficar magra e saudável, a Ra devem ser um hábito. Preciso equilibrar as coisas que realmente gosto, com as que realmente preciso. Por exemplo: beber cerveja é algo que realmente gosto, e depois daquele meu PT na casa da minha amiga parei de beber. Não fiquei anti-social, mas muitas  vezes me dava uma vontade louca de tomar umas e ir contra essa minha vontade me deixava chata e estressada. O que realmente preciso é moderar no consumo (agora que aprendi a lição e redimi do meu pecado da manguaça), beber raramente a cervejota e fazer a lei da compensação.

Devo me abster do que faz mal e engorda, mas também devo permitir-me de vez em quando. Nunca ser a ferro e fogo deu certo pra mim.  Parar de comer algo e emagrecer fatalmente me levaram ao exagero e relaxamento depois que atingi o peso desejado.

Uma coisa que achava balela é que andei comendo as minhas emoções. Alguns problemas de saúde, preocupações, falta de perspectiva e estresse levaram-me a comer para suprir meus sentimentos e esquecer os problemas. Somos o que comemos e o que pensamos.

Lá vou eu outra vez, recomeçar enquanto o estrago ainda é pequeno. Sem neuras, moderar é a palavra de ordem. Não existem alimentos ou bebidas proibidos. Só assim, poderei adotar para sempre um estilo de vida mais saudável, com boas escolhas, permissões e sensatez.


E aí, quem vêm comigo?

3 comentários:

Carla Renata Galassi disse...

ai lindona como te entendo viu.. engordar pra mim ainda ta muuuuuuuuuuuuuuuito facil.. então pra manter o peso eu to liberando nos finais de semana e mantendo na semana pra eliminar o ke ganhei no final de semana..kkkk.. e é o ke temos pra hj... bjokas lindona e sucesso

Giselle Salgado de Souza disse...

to com vc retomei há 2 semanas meu prejÛ foi maior ainda 1 mas o bom é que nao esquecemos o modo certo de se alimentar tamu junto bjkass

Suelen disse...

Keila, faz tempo que eu acompanho sua trajetória e agora consegui recuperar meu antigo blog. E posso comentar as pessoas que eu admiro. Você é uma delas, e sei que será capaz de se reeducar novamente. Conte Comigo! PS: Amei sua mudança e o seu corte de cabelo. Parabéns! E 7 kilos é fichinha pra você ;)
Tamos Juntas! FOrça, foco e FÉ!